Meiotom - poesia


 

 

Eunice Arruda

PROPÓSITO
 
 
Viver pouco mas
viver muito
Ser todo o pensamento
Toda a esperança
Toda a alegria
ou angústia - mas ser
 
Nunca morrer
enquanto viver
 
 
TRANSFORMAÇÃO
 
 
Anjo
dá guarda
 
Eu estou atravessando
 
Também me empresta
de tuas asas
o vôo
 
Que eu chegue a nenhum lugar
 
 
GAVETAS
 
o poema
caído
da ventania
 
- as gavetas escrevem
 
o poema sem voz
nascido
da dor em demasia
 
 
ENGANO
 
afinal
construímos prédios
casas jardins rosas
desabrocharam
trêmulas, afinal fomos
submissos às ocupações do dia
                às estações do ano
                à rotação da terra
 
Pensávamos ser esta a nossa pátria
 
 
PAISAGEM
 
O sol se
põe
 
Girassóis olham o chão 
 
 
                            EUNICE ARRUDA
 
Poemas incluídos na antologia "Poesia do Brasil" - volume 5
Proyecto Cultural Sul/Brasil - Artur Gomes (org.)
Projeto gráfico: Ademir Antonio Bacca

Voltar