meiotom  poesia & prosa

e-mail: meiotom@uol.com.br

 

   meiotom.blog                                                 TEATRO

 

ESPECIAL

 André Carneiro

 Eunice Arruda

 Leminski

 J. Cardias

 Jorge Cooper

 Poesia Cubana

 Poema Libai

POESIA

 Carlos Pessoa Rosa

 Convidados

 Carlos Pessoa Rosa

 Convidados

 Carlos Pessoa Rosa

 Convidados

 POESIA VISUAL

 Almandrade

 Carlos Pessoa Rosa

 Clemente Padín

 F. Aguiar

 G. Debreix

 Hugo Pontes

 José L. Campal

 J.M.Calleja

 Rafael Marin

 Poe-Zine

 Marcos Rosa

 Avelino Araujo

 Thierry Tillier

 FOTOGRAFIA

 Andrea Angelucci

 F. Pillegi

 Euclides Sandoval

 TITE

 GONDIM

ARTES PLÁSTICAS

 Lúcia Rosa

 Felipe Stefani

 Maria Domênica

 Lampros

 DIVERSOS

 Concursos

 Resultados concursos

 Resenhas

 Estatística

Premiado espetáculo da Cia Hiato, O Jardim reestreia no Teatro João Caetano dia 9 de fevereiro

Em comemoração a seus 10 anos de carreira, a Cia. Hiato relembra um de seus mais elogiados trabalhos, O Jardim com uma nova temporada no Teatro João Caetano a partir de 9 de fevereiro. A terceira peça da trupe conquistou em 2011 os prêmios Governador do Estado, APCA (melhor direção) Shell (Autor e Cenário), CPT - Cooperativa Paulista de Teatro (Autor e Espetáculo) e Questão de Crítica (Figurino), além de ter sido apontada como um dos melhores espetáculos daquele ano pelos principais veículos da mídia paulista.

Com direção e dramaturgia de Leonardo Moreira, a peça trata das memórias perdidas, a partir de uma investigação sobre a doença de Alzheimer, bem como das memórias que nunca se apagam e das memórias inventadas.  A montagem pretende se conectar ao público por meio de uma narrativa múltipla, reinventada pela reapropriação de episódios clássicos da literatura. Um deles é o trecho de “Em busca do Tempo Perdido”, de M. Proust, em que a degustação de um simples bolinho, mergulhado em uma xícara de chá, abre as portas para a memória de uma vida inteira.

Outra analogia vem da poesia de histórias ordinárias que saltam dos depoimentos colhidos em visitas a asilos e casas de repouso, um lugar de memórias. A autobiografia do neurologista Eric M. Kandel, ganhador do Prêmio Nobel, também é uma referência. Na obra, são descritos os processos biológicos de memória e aprendizado.

Outras fontes de inspiração são as fotografias e a narrativa extremamente emocional do fotógrafo Philip Toledano, além dos escritos verídicos de um esquizofrênico e depoimentos pessoais dos atores-criadores: familiares, lembranças, fotografias e objetos que guardam memórias. Outro guia nesta trajetória criativa é o trabalho com instituições dedicadas ao tratamento e prevenção do Mal de Alzheimer.

“O espetáculo também se apresenta como experiência pessoal, por meio do compartilhamento entre nossa história, a história que inventamos e a história do público. Essa perspectiva gera um olhar sobre o que nos dá a sensação de ‘pertencimento’ e nos conecta às nossas origens”, explica Leonardo Moreira. 

SOBRE A CIA. HIATO

Cia Hiato nasceu em 2008, a partir da criação do espetáculo “Cachorro Morto”, que recebeu vários prêmios e projetou o nome de Leonardo Moreira como um dos novos autores de destaque da cena paulista. Os artistas dessa peça fundam, em 2009, um projeto de investigação artística que originou espetáculo “Escuro”, que recebeu cinco indicações ao Prêmio Shell de Teatro 2010, tendo sido vencedor em quatro categorias (Autor, Diretor, Cenário e Figurino). Esse trabalho também recebeu o Prêmio da Cooperativa Paulista de Teatro 2010, na categoria Melhor Espetáculo em Sala Convencional, tendo sido indicado a outras quatro categorias.

O Jardim” é a terceira montagem da Cia. Hiato, e teve sua estreia em 2011. Desde então, teve temporadas em São Paulo e Rio de Janeiro e passou por importantes festivais nacionais (Brasília cenacontemporânea, Festival de Curitiba, FIAC Bahia/Salvador, Festival de Teatro de Recife, Aldeia Velha / SESC Goiânia, Festival de Teatro de Londrina, Festival de teatro de Vitória, entre outros). Na cena internacional, participou de várias mostras e cumpriu temporada em teatros em Nova York e Washington DC, nos Estados Unidos, em Viena, na Áustria; em Atenas, na Grécia; em Santiago, no Chile; entre outros.


O espetáculo apareceu em todas as listas de Melhores Espetáculos em Cartaz da imprensa paulista e recebeu os prêmios Governador do Estado, APCA (direção) Shell (Autor e Cenário), CPT - Cooperativa Paulista de Teatro (Autor e Espetáculo) e Prêmio Questão de Crítica (Figurino).

 

SINOPSE

Três histórias pertencentes a tempos diferentes se cruzam, se sobrepõem e se chocam para formar uma paisagem a ser contemplada pelo espectador: um jardim que une as memórias que perdemos, as memórias que não podem ser apagadas e ainda aquelas que imaginamos. O espetáculo parte de lembranças reais do diretor/dramaturgo e dos atores para refletir, por meio de narrativas bem-humoradas e tocantes, sobre a perda de memória e a construção de nossas histórias individuais. A memória é um instrumento para se questionar nossa percepção coesa e coerente da realidade. O espetáculo também se apresenta como experiência pessoal, por meio do compartilhamento entre as histórias da companhia, que os artistas inventaram e do público.

 

FICHA TÉCNICA

Dramaturgia e Direção: Leonardo Moreira

Elenco: Aline Filócomo, Fernanda Stefanski, Luciana Paes, Maria Amélia Farah, Paula Picarelli, Thiago Amaral. Ator Convidado: Edison Simão

Coordenadora de Produção/Gestão: Aura Cunha

Assistência de Direção: Amanda Lyra

Cenário: Marisa Bentivegna

Assistente de Cenografia: Ayelén Gastaldi e Cezar Renzi

Desenho de Luz: Marisa Bentivegna

Música Original: Marcelo Pellegrini

Figurinos: Theodoro Cochrane

Objetos Cênicos: Victor Merseguel

Efeitos Especiais: Pepe Scrofft

Fotos: Otávio Dantas e Lígia Jardim

Criação Gráfica: Cassiano Tosta - DGRAUS

Produção executiva: Yumi Ogino

Produção Geral: Elephante Produções Artísticas

Assessoria de Imprensa: Pombo Correio

 

SERVIÇO

O Jardim, uma criação da Cia. Hiato

Teatro Municipal João Caetano – Rua Borges Lagoa, 650 - Vila Clementino
Temporada: 9 a 25 de fevereiro

Às sextas-feiras e aos sábados, às 21h, e aos domingos, às 19h

Ingressos: R$20 (inteira) e R$10 (meia-entrada)

Classificação: 14 anos

Duração: 90 minutos

Capacidade: 110 lugares