meiotom  poesia & prosa

e-mail: meiotom@uol.com.br

 

   meiotom.blog                                                 CONTO

ESPECIAL

 André Carneiro

 Eunice Arruda

 Leminski

 J. Cardias

 Jorge Cooper

 Poesia Cubana

 Poema Libai

POESIA

 Carlos Pessoa Rosa

 Convidados

 Carlos Pessoa Rosa

 Convidados

 Carlos Pessoa Rosa

 Convidados

 POESIA VISUAL

 Almandrade

 Carlos Pessoa Rosa

 Clemente Padín

 F. Aguiar

 G. Debreix

 Hugo Pontes

 José L. Campal

 J.M.Calleja

 Rafael Marin

 Poe-Zine

 Marcos Rosa

 Avelino Araujo

 Thierry Tillier

 FOTOGRAFIA

 Andrea Angelucci

 F. Pillegi

 Euclides Sandoval

 TITE

 GONDIM

ARTES PLÁSTICAS

 Lúcia Rosa

 Felipe Stefani

 Maria Domênica

 Lampros

 DIVERSOS

 Concursos

 Resultados concursos

 Resenhas

 Estatística


FOTO: FELIPPE CANALE (IN: https://eaiconteudo.com.br/blog/video-tres-minutos-sobre-os-puteiros-do-baixo-augusta/)

O LANCE PERFEITO

Flávio Viegas Amoreira

Serpenteava pela Frei Caneca pensando o que é uma cidade? O que faz pensar que uma cidade é aquilo que vejo? Não será a cidade por onde Artur passa e onde imagino estar Artur bebericando sem minha espera, olhando as garotas, fumando sem tédio por minha ausência? Parei de pensá-lo , ele voltou para Santos , surfando e agora retomo inventar outra metrópole.  Sinuosa essa rua por quem ninguém dava nada e se inventa. Um lugar são as pessoas que cruzam , cada boteco partícula dessa metáfora. Como a lembrança do pau de Artur, sua bunda com marca de sunga, o filete de caipiroska na baba pelo peito cabeludo. Não  tão desatento com entorno: ´´Por quê São Paulo não é tão conhecida nesse mundo?´´ ´´Será por estar em latitude meridiano fora de mão?´´ Mesmo sem Artur por perto havia ali um despenhadeiro vale um platô onde meteram imensa avenida: mais um pouco iria me encontrar com Fiducia , eu sem jeito com as mulheres, eu sem assunto com as mulheres, sem nenhuma astúcia com esse outra metade de toda gente do planeta. Por amor a Artur procurava por Fiducia. Notava com a pressa estar com casaco puído, os sapatos com alguma lama seca, não tivera tempo se deter no seu aspecto , seu estilo não era de afetação no trato e tinha largado qualquer contato social estiloso. Era só despojamento. No fone de ouvido uma sonata de Mozart , por trás o vão do Masp, um café ralo ainda no hálito, eu poderia ter pego um táxi, comeria o caminho e essa ansiedade, não correria risco de assalto, agora foda-se todo medo , meus créditos de celular, essa porra de guarda-chuva é um saco! Ansiava pelo verão quando estaria livre dessa terra íngreme, solto e só com Artur numa praia abafada de gente e sensações onde pegar o dia a noite mesmo não indo além do mar em frente ao burburinho. Como começar com Fiducia? Ela entretida com o deplorável mercado de estilo, moda, galerias, objetos fortuitos e me dizendo sobre os dotes de Artur para a passarela, as vernissages, tudo aquilo de que se compõem uma ´saison´? para mim que o criara como um filho decifrando os criptogramas da Divina Comédia? Os vinis de Chet Baker? Paciência da porra ouvir Fiducia e sua ignorância reflexa sobre o mundo dos homens.... Porque levaria esse recado que recomporia seu amor? que Arthur estava pronto retomar o namoro com uma imbecil de grife? Essa que o arrastava a baladas sertanejas regadas de gim de terceira? Por uma buceta trocaria nossas noites de Bach entre rodadas de ´rabo de galo´ em meu quarto sala entulhado da melhor poesia de Whitman? Não! não seria esse Hermes das encruzilhadas do Baixo Augusta.... Três meses de não resposta e ela o esqueceria naturalmente na primeira temporada de Aspen! Não seria esse Pigmalião por tudo a perder em nome do bom mocismo esquálido das novas gerações! Entrei no bom e velho saguão no Hotel Jaraguá para filar seu banheiro decente entre mulheres de burkas e caipiras exitantes no saguão que guarda ainda algum charme de Errol Flyn.... piquei o bilhete em pedaços felinos e fui curtir a madrugada comendo o melhor sanduíche de pernil do mundo no Estadão.... aqueles livros ensebados que folheava já guardados para Arthur e seu futuro simbolista de hipster suburbano ....