meiotom  poesia & prosa

e-mail: meiotom@uol.com.br

 

   meiotom.blog                                                   TÂNIA DU BOIS

 

ESPECIAL

 André Carneiro

 Eunice Arruda

 Leminski

 J. Cardias

 Jorge Cooper

 Poesia Cubana

 Poema Libai

POESIA

 Carlos Pessoa Rosa

 Convidados

 Carlos Pessoa Rosa

 Convidados

 Carlos Pessoa Rosa

 Convidados

 POESIA VISUAL

 Almandrade

 Carlos Pessoa Rosa

 Clemente Padín

 F. Aguiar

 G. Debreix

 Hugo Pontes

 José L. Campal

 J.M.Calleja

 Rafael Marin

 Poe-Zine

 Marcos Rosa

 Avelino Araujo

 Thierry Tillier

 FOTOGRAFIA

 Andrea Angelucci

 F. Pillegi

 Euclides Sandoval

 TITE

 GONDIM

ARTES PLÁSTICAS

 Lúcia Rosa

 Felipe Stefani

 Maria Domênica

 Lampros

 DIVERSOS

 Concursos

 Resultados concursos

 Resenhas

 Estatística

PÁSCOA: criar é renovar

por Tânia Du bois

 

“Páscoa é vida nova / Esperança... luz.../ A presença de Jesus /

Que em todos se renova...” (Walter Pereira Pimentel)

 

Mais um ano passou e, agora, é o momento de refletir: é comum associar a criatividade como forma de renovação. Na passagem da Páscoa, um dos alegres momentos religiosos, criamos diferentes formas de comemorar a Ressurreição do Filho de Deus.

A Páscoa tem sentido de libertação, então, acredito que colocamos em prática a nossa capacidade de agir, realizar e existir como pessoa. Procuramos experimentar novos caminhos no impulso de, conscientemente, mudar: as emoções são estabelecidas pelos comportamentos no momento em que enfrentamos os constantes desafios. Mas, mesmo assim, o renascimento nos inspira a usar a criatividade como luz e alegria de viver, como novo caminho e maneira de comemorar o dia da Páscoa.

O mais interessante é que temos liberdade para renovar a tradição e celebrar com novo significado e dimensão: repensar as nossas vidas e muitas vezes trazer de volta os sentimentos esquecidos. Além disso, é oportunidade para criarmos sensações que fazem ver o próximo com novo olhar, e de tornar em cada ano o dia da Páscoa como novo dia, com promessa de novidades; um dia colorido porque estaremos prontos para receber, conhecer, aprender e muito a dar. Nas palavras de Celso Gabriel de Toledo e Silva,“... Coelhinho da páscoa, o que trazes pra mim? / Eu trago em meus achados e perdidos / O sorriso da criança, / O gesto caloroso do amigo sincero, / A clareza dos sentimentos entre as pessoas;...”

Encontramos na Páscoa que o tempo de criar é renovação, posso dizer que está em nós a capacidade de transformar o mundo em nossa volta, começando pelo cotidiano – criar e recriar os dias - pois, a mudança de atitudes, a busca por novidades e a descoberta de novos amigos são fatores que modificam os símbolos da vida.

O importante é passarmos a Páscoa assumindo nossas verdades, realizando nossos desejos, para termos nos símbolos, como os ovos de chocolates de todos os tamanhos e cores, a nossa alegria e a das crianças. A Páscoa é reflexo do ambiente familiar e, na poesia, encontro dados impressivos que colhem esta passagem, onde a Páscoa tem sentido de libertação, de ressurreição e renovação, segundo Mirella Luchinytzs, “... Desejo que a Páscoa / traga, ainda mais, felicidades para você. // Paz, esperança, doçura e profunda alegria, / como a que você traz e me dá. //Que o nosso amor também “renasça” / mais intenso todos os dias!”