meiotom  poesia & prosa

e-mail: meiotom@uol.com.br

 

   meiotom.blog                                                   TÂNIA DU BOIS

 

ESPECIAL

 André Carneiro

 Eunice Arruda

 Leminski

 J. Cardias

 Jorge Cooper

 Poesia Cubana

 Poema Libai

POESIA

 Carlos Pessoa Rosa

 Convidados

 Carlos Pessoa Rosa

 Convidados

 Carlos Pessoa Rosa

 Convidados

 POESIA VISUAL

 Almandrade

 Carlos Pessoa Rosa

 Clemente Padín

 F. Aguiar

 G. Debreix

 Hugo Pontes

 José L. Campal

 J.M.Calleja

 Rafael Marin

 Poe-Zine

 Marcos Rosa

 Avelino Araujo

 Thierry Tillier

 FOTOGRAFIA

 Andrea Angelucci

 F. Pillegi

 Euclides Sandoval

 TITE

 GONDIM

ARTES PLÁSTICAS

 Lúcia Rosa

 Felipe Stefani

 Maria Domênica

 Lampros

 DIVERSOS

 Concursos

 Resultados concursos

 Resenhas

 Estatística

n

.Y2

I&psig=AFQjCNG9UFNgeCVo10M6SHj7Q8WtdLiGZw&ust=1467037967680930com.br

 

Como vai VOCÊ?

por Tânia Du Bois

 

         

          Você é importante porque demonstra as possibilidades para uma vida pessoal e social. Encanto-me com seu sorriso e suas atitudes e, assim, começo a criar um forte e agradável vínculo com a sua escrita. Neste momento o que me importa é saber: como vai você? Antônio Marcos e Mario Marcos musicalizam, “Como vai você? // Eu preciso saber da sua vida / Peça alguém pra me contar sobre seu dia / Anoiteceu e eu só preciso saber / Como vai você? / Que modificou a minha vida / Razão de minha paz já esquecida / Nem sei se gosto mais de mim ou de você...”.

          Separo uma parte de meu tempo exclusivamente para ler seus textos e imagino que esse momento é só nosso, porque a minha atenção está voltada para você. Exploro as suas palavras, compreendo e até me familiarizo com elas: sinto-as tocar meu coração e influenciar o meu pensamento. Como expressa Pedro Du Bois,  “Tens a intensidade do linho / áspero e cru / seda entre os dedos / voz com que fala tua vida / olhos sobre todos nós // espírito inquieto / de quietude e paz // tens a intensidade do amor / colocado acima / do que o corpo pede / em paixão // és intensa como pensa a vida / a morte não te faz medo / cristã de arrependidos pecadores // tua vida é intensa e não há pecado / em tuas mãos”.   

          Quanto mais independente é a sua poesia, mais estimula meus sentidos; dessa forma resgato a comunicação e aprendo a nomear o mundo em sua volta – mais do que prazer, é compartilhar as histórias ao saber como vai você – o que traz harmonia para o meu viver.

          A composição de Antônio Marcos e Mario Marcos dá sentido e som à poesia, tornando-se minha parceira na sensibilidade, por saber conciliar a magia das palavras ao retratar o meu sentimento; “... Vem, que a sede de te amar me faz melhor / Eu quero amanhecer ao seu redor / Preciso tanto me fazer feliz // Vem, que o tempo pode afastar nós dois / Não deixe tanta vida pra depois / Eu só preciso saber / Como vai você...”.

          Nesta união entre a poesia e a música vivo a expectativa e a esperança semearem o movimento provocado pela emoção de saber: como vai você?