Meiotom - resenhas


 

 

TÂNIA DU BOIS

DULCINÉIA CATADORA – O efeito positivo

por Tânia Du Bois

 

            Ao assistir à entrevista com Lúcia Rosa no programa Entrelinhas, na TV Cultura, me veio a questão: quem consegue ficar indiferente de tal projeto?

            Todos nós reconhecemos a eficiência, a grandeza e a harmonia do projeto, conduzido por Lúcia e Carlos Rosa. Lúcia criou o Coletivo Dulcinéia Catadora, nos moldes do projeto argentino “Elaine Cartonera”, capaz de disponibilizar o mundo das artes à todas as classes sociais.

            É preciso elogiar tal atitude, mostrar ao mundo, informar que a dignidade humana, sobretudo, ainda existe.

            O Projeto Dulcinéia Catadora envolve a arte de escrever com a arte de pintar, formando um conjunto de verdadeira revelação e transformação, que resgata o bem viver, através da cultura, em tempo real.

            Dentro da amostra que assisti no site http://www.meiotom.art.br, do trabalho desenvolvido, uma frase chamou a minha atenção: “As palavras me aceitam como sou.” É uma daquelas frases que nos toca, isto é, quando não sou eu apenas que a sinto, mas sim um encontro comigo mesma e o despertar para um vínculo entre mim e a literatura.

            O Dulcinéia é um estímulo de materiais, cores e palavras que encantam a todos; ingrediente que regenera a cultura e engrandece a vida; uma maneira gostosa de fazer funcionar a arte, dando liberdade aos participantes. O projeto tem efeito positivo, porque enriquece a cultura, quer pela troca de experiências entre os participantes, quer pelos desafios que são superados, revelando ações que se completam.