meiotom  poesia & prosa

e-mail: meiotom@uol.com.br

 

   meiotom.blog                                                   TÂNIA DU BOIS

 

ESPECIAL

 André Carneiro

 Eunice Arruda

 Leminski

 J. Cardias

 Jorge Cooper

 Poesia Cubana

 Poema Libai

POESIA

 Carlos Pessoa Rosa

 Convidados

 Carlos Pessoa Rosa

 Convidados

 Carlos Pessoa Rosa

 Convidados

 POESIA VISUAL

 Almandrade

 Carlos Pessoa Rosa

 Clemente Padín

 F. Aguiar

 G. Debreix

 Hugo Pontes

 José L. Campal

 J.M.Calleja

 Rafael Marin

 Poe-Zine

 Marcos Rosa

 Avelino Araujo

 Thierry Tillier

 FOTOGRAFIA

 Andrea Angelucci

 F. Pillegi

 Euclides Sandoval

 TITE

 GONDIM

ARTES PLÁSTICAS

 Lúcia Rosa

 Felipe Stefani

 Maria Domênica

 Lampros

 DIVERSOS

 Concursos

 Resultados concursos

 Resenhas

 Estatística

ESTILO DE VIDA NA POESIA

por Tânia Du Bois

 

“Ser diferente é bom, ser indiferente é que não é”. Fazer diferença é conceber um estilo de vida na poesia. O poeta é um dos eixos norteadores da literatura. Vale lembrar o escritor Ernani Rosas, do início do século passado, que deixou a marca da sua diferença na poesia: “Vida, é volúpia, tântalo e agonia! / desgraças mil, letras vencidas, um homem / que perdeu a razão por ironia / da sorte, que os mil nada nos consome”.

Para sentir a diferença é necessário se tornar leitor de poesia. E como eu, milhares de pessoas gostam de ler e apreciar as formas que fazem diferença no dia a dia, como prazer, como forma de aprender e de compreender o mundo.

Pessoas de diferentes raças e culturas lêem por algum motivo. Existe o livro/autor perfeito para cada leitor. Esse é o estilo de vida que determina, ou não, o desenvolvimento intelectual, podendo expandir a poesia como literatura e cultura. Para Octavio Paz, a poesia é “exercício espiritual”, mas, também, ”uma atividade revolucionário e experiência histórica”.

Ressalto os poetas pelo interesse em evocar a paisagem cultural, com livros de poesia onde nos mostram, em visão panorâmica, a preocupação pelo desenvolvimento como cultura, como estilo de vida, que mostram as transformações no nosso tempo. Segundo Ruy Espinheira Filho, “...O poema se dilui na brisa, nos / olhos que se voltam...”; Hermenegildo Bastos, ”a poesia é sonho em demasia...”; Ferreira Gullar, “...pretendo que a poesia tenha a virtude de, em meio ao sofrimento e ao desamparo, acender uma luz...”; Clauder Arcanjo,”Um dia resolveu fazer um poema...A multidão parou mais ...atenta. O poema acendeu a tarde inteira.”; Carmen Presotto, “...Aspira o verso / que toca Rosa / e vive.” e Pedro Du Bois, “O poeta amplia a palavra na necessidade de ser a compreensão do que revela.”

A poesia tem seu estilo na intenção de provocar “um olhar atento”, para chegar aos nossos dias tecendo diálogos importantes em função da arte. Ela pode entrar na passarela da moda e na rota da cultura. Bom gosto e elegância andam juntos com a literatura e o talento; por isso, optar por um estilo de vida na poesia, não vendido, e sim conquistado, faz a diferença. Montaigne declarou que “... é uma das formas de felicidade, e isto é um estilo de vida conquistado”.

Licurgo Costa, por sua vez, disse que “... ao que me agrada ler, digo, para começo de conversa, que a gente muda muito com o correr do tempo. De poesia sempre gostei”.