meiotom  poesia & prosa

e-mail: meiotom@uol.com.br

 

   meiotom.blog                                                   TÂNIA DU BOIS

 

ESPECIAL

 André Carneiro

 Eunice Arruda

 Leminski

 J. Cardias

 Jorge Cooper

 Poesia Cubana

 Poema Libai

POESIA

 Carlos Pessoa Rosa

 Convidados

 Carlos Pessoa Rosa

 Convidados

 Carlos Pessoa Rosa

 Convidados

 POESIA VISUAL

 Almandrade

 Carlos Pessoa Rosa

 Clemente Padín

 F. Aguiar

 G. Debreix

 Hugo Pontes

 José L. Campal

 J.M.Calleja

 Rafael Marin

 Poe-Zine

 Marcos Rosa

 Avelino Araujo

 Thierry Tillier

 FOTOGRAFIA

 Andrea Angelucci

 F. Pillegi

 Euclides Sandoval

 TITE

 GONDIM

ARTES PLÁSTICAS

 Lúcia Rosa

 Felipe Stefani

 Maria Domênica

 Lampros

 DIVERSOS

 Concursos

 Resultados concursos

 Resenhas

 Estatística

A MAGIA DO NATAL

por Tânia Du Bois

 

          Vivemos da magia. No Natal iluminamo-nos pelo vão das letras que se estendem ao começo dos sonhos, onde tentamos desvendar o sentido da vida, descobrir a alegria e reconhecer de maneira simples – e ao mesmo tempo profunda – a vibração das palavras dos escritores.

          A magia do Natal encontra-se nos versos que transfiguram os poemas e que espelham a libertação. Une tradição natalina aos conhecimentos literários, como o poema que, segundo Drummond: “a literatura não precisa ser moderna. Tem que ser eterna.”

          Em um pequeno encontro de luminares, cada um expressa o sentido da sua exaltação, transformando o Natal em momento mágico e feliz:

                   

            “Cantemos a canção da vida / na própria luz consumida...

                                                                                       Mário Quintana

 

            “Ando a procura da luz / como quem procura um nascimento: /

            um vão / uma fresta / o mundo”                     Leopoldo Scherner

 

            “... O homem / ilumina / o homem / próximo...”     Pedro Du Bois

 

            “A luz está em nós: iluminamos” Orides Fontela

 

            “... Na luz imaginada / de um infinito amor...”  Armindo Trevisan

           

            “Será que pode ver? / Será que pode sentir? / Será que

           pode... Me amar?”                                       Eduardo Barbossa

 

            “Lembro da manhã / Acariciando o Sol...”  Lu Cavichioli

 

            “Falou e disse um pássaro, / dois sóis, uma pequena estrela.”

                                                                                   Carlos Nejar

 

            “... – do que mais ilumina e sabe: gesto / de foice abrindo

           o real, força no vento / o desdobrar de um sol imperativo...”

                                                                                  Gilberto Mendonça Teles

 

          A magia do Natal está nas palavras que iluminam os nossos corações, assim como a magia da vida se encontra no poeta, porque ele é representante do sentimento do mundo e nos leva à admiração simbólica, sensível, e com veia poética, da nossa presença no Natal.