meiotom  poesia & prosa

e-mail: meiotom@uol.com.br

 

   meiotom.blog                                                   TÂNIA DU BOIS

 

ESPECIAL

 André Carneiro

 Eunice Arruda

 Leminski

 J. Cardias

 Jorge Cooper

 Poesia Cubana

 Poema Libai

POESIA

 Carlos Pessoa Rosa

 Convidados

 Carlos Pessoa Rosa

 Convidados

 Carlos Pessoa Rosa

 Convidados

 POESIA VISUAL

 Almandrade

 Carlos Pessoa Rosa

 Clemente Padín

 F. Aguiar

 G. Debreix

 Hugo Pontes

 José L. Campal

 J.M.Calleja

 Rafael Marin

 Poe-Zine

 Marcos Rosa

 Avelino Araujo

 Thierry Tillier

 FOTOGRAFIA

 Andrea Angelucci

 F. Pillegi

 Euclides Sandoval

 TITE

 GONDIM

ARTES PLÁSTICAS

 Lúcia Rosa

 Felipe Stefani

 Maria Domênica

 Lampros

 DIVERSOS

 Concursos

 Resultados concursos

 Resenhas

 Estatística

MARINA EM POEMAS

por Tânia Du Bois

 

            “Marina em poemas” é o livro de Pedro Du Bois que retrata o amor e a admiração por sua filha, Marina. Destaca a importância da sua presença na vida dele, revelando suas cumplicidades, companheirismo e a menina de sorriso largo.

 

            “Na primeira que a vi //... tive na alma a certeza do encontro.”

 

            O livro traz em poemas a roupagem de carinho e dedicação, conversa essa formada pela amizade existente entre pai e filha.

 

            “... somos felizes no encontro / e não há desencontro em nossas vidas.”

 

Mostra facetas, cores e brilhos, expondo sentimentos e a singeleza impressa em seu nome.

 

“... olho para você Marina / e deixo consigo a luz /

 que lhe protege na continuidade.”

 

            Pedro se declara em doce jornada de poemas, onde mostra na mesma pessoa a mulher que sabe viver seu tempo de transformações e a filha que retribui as atenções recebidas e ainda o ensina a lidar com o novo mundo.

 

             “... é o meu conforto no carinho recebido / saber estar comigo

            naquele minuto / em que o tempo permite o retorno /

            e o futuro se apresenta na continuidade...”.

 

            Posso ainda dizer que Pedro, nesses poemas, tem o dom de deixar em silêncio os significados e, ao mesmo tempo, desvendar seu amor paterno e profundo, semeando a alma do tempo.

           

            “... somos únicos e indivisíveis / o mundo ali nos pertence /

            protegemo-nos mutuamente / o mal se afasta e o bem sorri...” 

 

Du Bois, em “Marina em poemas”, faz uma literatura temperada, tendo ao fundo histórias de seus cotidianos e juntos revelam a trama de cumplicidade de tirar o fôlego em cada página.

 

            “... são seus olhos em lembrança / me acompanham /

            neles rebrilha a vida / na certeza da continuidade.”